terça-feira, 16 de setembro de 2008

Perguntas para os meus amigos evolucionistas


Nos meus anos de liceu e universidade, quando questionava os professores de Biologia com algumas das dúvidas que me surgiam sempre que o tema da “Evolução” vinha à baila, as respostas que obtinha, e que tinha de saber como sendo verdade, eram sempre baseadas em suposições e relatividades.
Qualquer matemático sincero dirá que a probabilidade da complexidade de tudo o que conhecemos, desde as galáxias até ao núcleo de uma célula, ter surgido por acaso e evoluído, é nula. A ciência evolui, a quantidade de conhecimento também. O homem desenvolve as suas capacidades, especializando-se em várias áreas, da intelectual à física, e produz (tal como os animais e plantas) variedade dentro do seu género, mas daí até assumirmos que os seres vivos antigamente conseguiram fazer algo que os de hoje não conseguem (produzir seres diferentes deles próprios), é deixar a realidade e entrar num mundo de fantasia e abstracção.

•1 De onde veio o espaço para o universo? De onde veio a matéria? De onde veio a energia para organizar tudo?
•3 De onde vêm as leis do universo (gravidade, inércia, etc)? Como é que a matéria se organizou de forma tão perfeita?
•4 Quando, onde, porquê e como surgiu a vida a partir de matéria sem vida? Como aprendeu a vida a reproduzir-se?
•5 Com o que/quê é que a primeira célula/organismo capaz de se reproduzir sexualmente se reproduziu?
•6 Porque motivo um animal reproduziria mais do seu tipo, uma vez que isso significaria mais bocas para alimentar e diminuiria as hipóteses de sobrevivência? Será que o indivíduo tem o instinto ou impulso para sobreviver ou será a espécie? Como explica a origem e a essência desse impulso? No caso dos mamíferos porque não é o feto considerado um parasita e expulso pelo organismo do progenitor? O que leva a que tal não aconteça?
•7 Será possível que semelhanças de “design” entre animais diferentes, prove que eles tiveram um “designer” em comum, em vez de um ancestral em comum?
•8 A selecção natural somente funciona com a informação genética disponível e apenas tende a manter a estabilidade numa espécie. Ela elimina os “excêntricos”. Como explicaria a crescente complexidade no código genético que teria de ter ocorrido se a evolução fosse verdade?
•9 Quando, onde, porquê e como é que: As plantas unicelulares passaram a multicelulares? Animais unicelulares evoluíram? Os peixes mudaram para anfíbios? Os anfíbios mudaram para répteis? Os répteis mudaram para pássaros? (Os pulmões, ossos, olhos, órgãos reprodutores, coração, método de locomoção, cobertura do corpo, etc., são todos tão diferentes!) As formas intermediárias viveram/sobreviveram?
•10 Quando, onde, porquê, como e de quê: As baleias evoluíram? Os cavalos-marinhos evoluíram? Os olhos e os ouvidos evoluíram? O cabelo, a pele, as penas, escamas e unhas evoluíram?
•11 O que evoluiu primeiro (como, durante quanto tempo, e funcionou sem os outros)? O sistema digestivo, a comida a ser digerida, o apetite, a capacidade de encontrar e comer os alimentos certos, os sucos digestivos, a resistência do corpo aos próprios sucos digestivos (estômago, intestinos, etc.)? O sistema imunitário ou a necessidade dele? O sistema nervoso, o sistema circulatório, o sistema de reparação ou o sistema hormonal? A vontade de reproduzir ou a capacidade para reproduzir? Os pulmões, o revestimento de muco que os protege, a garganta, ou a mistura perfeita de gases que seriam respirados nos pulmões? O DNA ou RNA para levar as mensagens do DNA a diferentes partes da célula?
•12 O que surgiu primeiro? As plantas ou os insectos que nelas vivem e as polinizam? Como explicar as simbioses na Natureza? Porque temos de ensinar os alunos que a evolução é a única explicação para estes relacionamentos?
•13 Como a evolução explicaria a mímica? As plantas e animais desenvolveram a mímica por mero acaso, pela sua escolha inteligente, ou por desígnio de Alguém?
•14 Como evoluíram as plantas floridas e a partir de quê? Como evoluiu a fotossíntese? Como é que os insectos identificam, pela cor, as flores de onde tirar o pólen e porque o fazem? Como explica isso?
•15 Quando, onde, porquê, e como o homem desenvolveu os sentimentos? Amor, misericórdia, culpa, etc., nunca evoluiriam na teoria da evolução.
•16 Como evoluiu o pensamento, a personalidade? Como evoluiu o comportamento nos seres vivos? De onde veio essa informação (escolha de parceiro, reprodução, incubação, cuidado e ensino dos filhotes, migração, etc.)? Dos genes? Os químicos só por si não têm qualquer desta informação.
•17 O que você teria dito há 75 anos atrás se eu lhe dissesse que tinha um Celacanto no meu aquário?
•18 Existe alguma previsão clara da macro-evolução que fosse provada verdadeira?
•19 O que é assim tão científico na ideia de que o hidrogénio se pode tornar num humano? É esse o pressuposto da teoria.
•20 Você honestamente acredita de que tudo surgiu do nada?

Após ter respondido a estas questões, por favor reveja cuidadosamente as suas respostas e considere o seguinte.

•1 Tem a certeza de que as suas respostas são razoáveis, correctas e provadas cientificamente, ou simplesmente acredita que poderá ter acontecido da forma que respondeu?
•2 As suas respostas demonstram mais ou menos fé do que a pessoa que diz: “Isto só pode ter sido projectado por Deus”?
•3 Você sabe tudo? Não?! Suponhamos que sabe metade de tudo. Será possível que Deus exista na outra metade que você não conhece?
•4 Devemos continuar a usar evidências ultrapassadas, desaprovadas, questionáveis, para suportar a teoria da evolução porque não temos um substituto que nos sirva (Homem de Piltdown, Recapitulação, Archaeopteryx, Lucy, Homem de Java, Evolução do Cavalo, Órgãos Vestigiais, etc.)?
•5 O que está você a arriscar se estiver errado? Como alguém uma vez disse: “Ou Deus existe ou não existe. Ambas as possibilidades são assustadoras.”
•6 Qual é o resultado final de uma crença na evolução (estilo de vida, sociedade, atitude para com os outros, destino eterno, etc.?)

É terrível o impacto social e moral que os conceitos evolucionistas têm tido no mundo moderno. A moralidade e padrões éticos têm diminuído imenso. As crianças e jovens são ensinados nas escolas que são animais desenvolvidos, que não existem princípios morais e, quando os há, são desprovidos de autoridade - Deus. Como não passam de animais podem fazer o que lhes apetecer. Como o famoso anúncio de uma marca de material desportivo dizia: “Just Do It!” Sobrevivência e sucesso pessoal são apenas conseguidos através de rivalidades, disputas e passar por cima dos outros. É a “lei da sobrevivência”. E salve-se quem puder…
Bem hajam.

P.S.- Se a Evolução é verdadeira (na dimensão em que é ensinada) e favorece o indivíduo mais forte e apto, porque temos hospitais, médicos, segurança social, polícia, etc.? Para quê ajudar os mais fracos? Para quê contrariar a natureza? Não estamos assim a atrasar a evolução?

“Uma pessoa não pode ser exposta à lei e ordem do universo sem concluir que tem de haver um desígnio e um propósito por detrás de tudo… Ser forçado a acreditar somente numa conclusão – que tudo no universo aconteceu por acaso – violaria a objectividade da ciência… Eles (evolucionistas) desafiam a ciência a provar a existência de Deus. Mas será mesmo necessário acendermos uma vela para vermos o sol? É com honestidade científica que eu apoio a apresentação de teorias alternativas para a origem do universo, da vida e do homem, nas aulas de ciências. Seria um erro ignorar a possibilidade do universo ter sido planeado em vez de ter surgido por acaso.”
- Dr. Wernher von Braun (pai do programa espacial Americano)

5 comentários:

Clau disse...

"As crianças e jovens são ensinados nas escolas que são animais desenvolvidos, que não existem princípios morais e, quando os há, são desprovidos de autoridade - Deus. Como não passam de animais podem fazer o que lhes apetecer. Como o famoso anúncio de uma marca de material desportivo dizia: “Just Do It!” Sobrevivência e sucesso pessoal são apenas conseguidos através de rivalidades, disputas e passar por cima dos outros. É a “lei da sobrevivência”. E salve-se quem puder…""

Olhe que isto não é inteiramente verdade. Quando andei na escola (e a escola não ensina tudo e não é de certeza o local ideal para se ensinar a existência de Deus) as coisas não funcionaram assim, e olhe que não sou assim tão velha quanto isso. E há mais.. não é a escola que vai ensinar as crianças a comportarem-se como indíviduos íntegros, com bons costumes e moralmente correctos. A educação do espírito passa pela educação familiar. Os professores ensinam o comportamento em sociedade, o ABC e as "contas". O resto está dentro de nós e das duas uma.. ou já foi aceso, ou então, já não vai a tempo e temos uma cambada de miudos ou mimados, ou então que não respeitam a liberdade dos outros.

Pedro disse...

Vou tentar responder a todas estas questões neste espaço limitado. Parece impossível mas não é. Não é impossível porque, em vez de recorrer somente à razão, vou recorrer também à crença, visto que este direito não é um direito exclusivo dos criacionistas.

Ora cá vai.

Resposta às primeiras 20 perguntas:

Foi o poder infinito da abóbora mágica.

(Como é público, acredito que o Mundo foi formado ontem pela explosão de uma abóbora mágica; os resíduos da explosão é tudo o que vemos - pessoas com as suas memórias, crentes e não crentes, plantas, bicicletas, aviões, livros de história e de ciência, fósseis, Bíblias e Corões, etc. - e também o que não vemos - tudo o que ainda não foi descoberto)

Resposta às próximas 6 (por uma ordem por mim escolhida):

As suas respostas demonstram mais ou menos fé do que a pessoa que diz: “Isto só pode ter sido projectado por Deus”?

Não. A minha resposta às 20 questões demonstram um nível de fé similar àqueles que acreditam que tudo foi projectado por Deus.

Você sabe tudo?

Não. O que não sei, atribuo ao poder infinito da abóbora mágica.

Devemos continuar a usar evidências ultrapassadas, desaprovadas, questionáveis, para suportar a teoria da evolução porque não temos um substituto que nos sirva (Homem de Piltdown, Recapitulação, Archaeopteryx, Lucy, Homem de Java, Evolução do Cavalo, Órgãos Vestigiais, etc.)?

Não. Nem sei se devemos usar tão pouco evidências. Aliás, bastará uma evidência ir contra o poder infinito da abóbora para que eu a abandone automaticamente.

O que está você a arriscar se estiver errado?

Nada.

Qual é o resultado final de uma crença na evolução (estilo de vida, sociedade, atitude para com os outros, destino eterno, etc.?)

(Esta é fácil) O resultado final é tudo o que vemos à nossa volta.

E por último,

Tem a certeza de que as suas respostas são razoáveis, correctas e provadas cientificamente, ou simplesmente acredita que poderá ter acontecido da forma que respondeu?

São correctas, mas não são razoáveis nem provadas cientificamente. Mas acredito que tudo se tenha passado da forma como descrevi.

Conclusão:

Modéstia à parte, acho que me safei bem. Apesar das minhas respostas não serem razoáveis, estão a um nível similar às respostas criacionistas. Não é razoável imaginar uma arca com todas as variedades de espécies animais*; temos de recorrer à crença para isso. Recorrer á crença é fugir da razão. Logo, deixa de ser razoável.

Quanto à prova científica, faço o que o criacionismo faz: aguardo pacientemente que provem que eu estou errado. Até lá, eu é que estou certo...

*Nunca percebi o que aconteceu às plantas ou como ainda existem peixes de água doce: com o dilúvio, morreram todos e que eu saiba o Noé não levou aquários para dentro da Arca.

Pedro disse...

Irei comentar agora a parte final do artigo.

"É terrível o impacto social e moral que os conceitos evolucionistas têm tido no mundo moderno."

Nunca ouvi um relato de alguém ser morto ou perseguido por não acreditar na teoria da evolução. Por outro lado, já morreram milhões por não acreditar nos conceitos criacionistas.

Para além disso, o criacionismo não pode ser dissociado da religião. Curiosamente hoje, a religião continua a ser das principais causas de morte não natural, fundamentando guerras e actos terroristas. A xenofobia e o genocídio nos tempos modernos têm por fundamento, invariavelmente, questões religiosas, por exemplo.

"As crianças e jovens são ensinados nas escolas que são animais desenvolvidos, que não existem princípios morais e, quando os há, são desprovidos de autoridade - Deus."

Não sei qual foi a escola que frequentou, mas deve ter sido diferente da minha. Se conhece alguma escola que não ensine valores morais, de respeito ou de cidadania, denuncie-a imediatamente.

Tem é que perceber que a sua religião não é a moral que a escola deve transmitir. Isto porque o princípio da universalidade do ensino o torna impraticável. Daí a escola ter de ser laica: para que haja respeito pelo próximo.

Já imaginou formar as crianças em reyki, mundos de kryon, valores da iurd, moral mormon, cabala, e mais uma infinidade delas, sabendo que todas se proclamam a única forma de ver o mundo? Os valores a serem transmitidos terão de ser horizontais a todas elas. Mesmo assim já é o que é, agora imagine...

Estive há pouco tempo em Glasgow. Lá é possível (ou obrigatório, não sei bem...) escolher uma escola católica ou uma escola protestante. Os valores morais transmitidos lá são tão bons que se tornam desculpa para cumprimentar a malta do outro lado com umas amigáveis facadas ou umas festas de chumbo que são enviados por aqueles aparelho a que chamamos pistolas. Tudo porque foram levadas a acreditar em valores diferentes.

E basta lembrar até há bem pouco tempo o que se passava na Irlanda do Norte entre católicos e protestantes.

Não queira arranjar mais problemas que, felismente, conseguimos resolver há bem pouco tempo.

Clau disse...

é feliZmente...ehehehehe

pedro disse...

Consequências de escrever depressa e sem corrector automático, Clau. :)

Felizmente que o desenvolvimento científico criou uma quantidade enorme de aparelhos e tecnologias para nos facilitar a vida, como por exemplo, os correctores ortográficos.

Infelizmente, não o tenho instalado no computador. :(

PS: Após publicar um comentário, acabo por encontrar uma média de 2 ou 3 erros gramaticais ou ortográficos. Mas acho que esses são menos graves do que os erros de conteúdo... eheheheh