sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A Descoberta do Dr. Gentry


Alguém certa vez escreveu, numa das suas respostas aos meus artigos que foram publicados no Diário Insular, que os criacionistas não fazem ciência, apenas falam mal de quem a faz. Talvez tenha usado outras palavras, mas o sentido era este.
Coloco aqui uma série de 3 vídeos do Dr. Robert Gentry sobre uma descoberta extraordinária.

Biografia
O Dr. Robert V. Gentry é um Físico Nuclear e passou a maior parte da sua carreira científica a investigar vestígios de radioactividade de polónio inscritos no granito e é sem dúvida a autoridade máxima em halos de polónio. A sua pesquisa resultou na autoria e co-autoria de mais de 20 artigos em publicações científicas, tais como Science, Nature, Geophysical Research Letters, Annual Review of Nuclear Science, e Earth and Planetary Science Letters. Quando iniciou a sua pesquisa era um evolucionista. Hoje o Dr. Gentry é um convicto cientista Criacionista que defende a jovem idade da Terra (aprox. 6 mil anos).
Os resultados da sua investigação mostram claramente que a Terra foi criada instantaneamente com uma temperatura baixa.
Aconselho a lerem o seu livro “Creation's Tiny Mystery”. Contém cópias dos seus relatórios em periódicos científicos e uma narrativa intrigante acerca da resposta da comunidade científica às suas descobertas.

O Dr. Gentry fez as suas pesquisas, publicou-as em jornais e revistas científicas e foi muito aclamado pelo mundo da ciência, até que alguém percebeu que a sua descoberta punha em causa a teoria da evolução e o Big-Bang. Foi então que lhe cortaram os fundos, não publicaram mais os seus artigos e baniram-no de alguns laboratórios nacionais (E.U.A.). Atenção, ele nunca referiu Deus ou afirmou ser criacionista!
Não concordarão comigo se eu afirmar que isto é perseguição? Um cientista só pode fazer ciência desde que ela não questione uma teoria?! Se a ciência prova errada a teoria, então é hora de mudar de teoria, não acham?
Visitem o site www.evolution-facts.org, na secção de downloads poderão baixar vários livros e textos com evidências científicas para a Criação, devidamente explicadas e bibliografadas. Verão que muitas foram descobertas pelos próprios evolucionistas, como Isaac Asimov, entre outros.
Não sou contra a ciência, os criacionistas não são contra a ciência, apenas contra as mentiras e erros que se misturam com ela para suportar uma teoria, uma suposição.
Já houve quem referisse que “a ciência não fundamenta crenças. A ciência destrói-as.” É interessante então que os evolucionistas vão aos arames quando alguém põe em causa a crença deles na teoria da evolução. Se a ciência destruísse crenças, a teoria já não constaria nos livros. O caso do Dr. Robert Gentry foi apenas um em muitos que sofreu perseguições por relatar as suas descobertas. Muitos outros cientistas são expulsos, professores são insultados pelos seus directores e despedidos só por porem a hipótese de ter havido Design Inteligente. Um professor de ciência nos E.U.A. perguntou ao seu director se poderia, de acordo com as mais recentes descobertas científicas, apontar aos alunos alguns erros que ainda vinham nos livros. Quase foi expulso da escola! Se a ciência está sempre em mudança e aberta a novos conhecimentos, porque não aceitam a hipótese de um Criador?
Bem hajam.





5 comentários:

Clau disse...

Mas Rodrigo.. a mentalidade tacanha das pessoas no geral é que proibe a aceitação de um Criador. Então nos EUA! Acho impressionante que em algumas escolas dos estados do interior (os mesmos que ainda aceitam KKK e outras seitas do mesmo género) as aulas de Ciências Naturais funcionem somente com base na criação ipsis verbis como é contada na Bíblia. Por outro lado, acho lamentável também que o mesmo aconteça quando algum professor cientista encontre erros na sua própria "ciência" e os tente emendar. Chama-se a isto censura.. E se há algo que a humanindade não pode suportar é algo que não a deixe pensar com liberdade.

Rodrigo Bento disse...

Penso que não devem haver extremos fundamentalistas, nem do lado religioso, nem do lado científico.
Se a ciência não conseguiu ainda provar a existência de Deus, é uma coisa, mas se a nega, é outra completamente diferente. Isso é um extremismo. Nenhum cientista pode afirmar que Deus não existe. E existindo, Ele é o maior dos cientistas! O homem apenas tem capacidade para estudar o que já existe, mas Aquele que tudo criou, que tamanho poder e inteligência deve ter!

Clau disse...

Sim.. extremismos tanto d um lado, como do outro, são inaceitáveis! Ou se acredita, ou não se acredita, mas não pode e não deve (que dever e poder são faces opostas da mesma moeda) aniquilar as crenças religiosas ou científicas das pessoas. Por isso é que acho que deve haver sempre um debate com mente aberta, e não uma castração intelectual seja teológica ou científica (ou ambas, que, no meu caso, é a que mais se adequa).

Mats disse...

Bons comentários, mas a dicotomia "teológica vs científica" , a meu vêr, errada uma vez que assume à partida que as duas estão em campos opostos.

Obrigado pelo comentário no meu blog, Rodrigo.

Deus te abençoe. Vou vomçar e ser cliente habitual deste "café". Há lugar para mais um criacionista?

Anónimo disse...

"... a mentalidade tacanha das pessoas que não conseguem ver o Universo sem a interferencia de um criador"... Este conceito certamente está relacionado ao que o ser humano não aceita o caos, não admite a morte como ela se apresenta. A questão para o desenvolvimento do conhecimento humano não está em existir ou não um criador, este argumento é totalmente transparente. O fato é que estamos aqui, é real, existe e temos que começar a nos preocupar com isto.